Onde se hospedar em Havana

Uma dúvida recorrente de quem viaja pela primeira vez a Havana é sobre o melhor bairro para se hospedar e também se deve optar por hotel, hostel ou casa particular. Os bairros mais indicados são: Vedado, Habana Vieja e Centro Habana.

Share:

O visto para Cuba

Cuba exige visto de brasileiros, que pode ser tirado no Consulado em Manaus, Salvador, São Paulo e na Embaixada em Brasília, no entanto, como moro no Rio, a melhor opção era comprar a "Tarjeta del Turista" diretamente na companhia aérea, além de ser mais barato.


Share:

Visita ao "El escorial" e hospedagem no Ibis Madrid Aeropuerto Barajas

A passagem de Malta para Madri foi comprada no site do Smiles, por 12.500 milhas, para voar Alitalia. O lado negativo é que tinha - obrigatoriamente - a conexão em Roma. O voo saiu 17:45, cheguei em Roma às 19:10 e apenas às 23:50 aterrissou em Madri!



Share:

O último dia em Malta

O último dia em Malta foi destinado a visitar as “Três cidades” (The Three Cities): Vittoriosa, Senglea & Cospicua (que hoje são conhecidas como Birgu, La Isla e Bormla). Tínhamos ainda a ambição de visitar os Templos Megalíticos de Mnajdra e a Mdina (antiga capital de Malta), mas o tempo não colaborou. Choveu intensamente durante todo o dia.

Share:

Um dia na Ilha de Gozo

Além de Malta, existem outras duas ilhas habitadas, Comino e Gozo, que pertencem ao mesmo arquipélago. A ilha de Gozo te aproximadamente 67km2. O cartão postal mais famoso da ilha era a "Azure Window" ou janela azul, pois foi cenário da famosa série "Game of Thrones" (nunca assisti), no entanto, desmoronou em março.



Share:

Malta e a Popeye Village

O terceiro dia em Malta foi dedicado a conhecer a Popeye Village, cenário do filme "Popeye", de 1980, dirigido por Robert Altman, com Robin Williams no papel principal, que hoje é um parque em Anchor Bay. A construção da vila de 19 prédios, que é real e toda em madeira, durou sete meses.


Share:

Conhecendo a Blue Lagoon em Comino

Além de Malta, existem outras duas ilhas habitadas, Comino e Gozo, que pertencem ao mesmo arquipélago. A ilha de Comino fica localizada entre as ilhas supracitadas e mede aproximadamente 2 km. Sua única atração é a estonteante "Blue Lagoon" ou lagoa azul.



Share:

O primeiro dia em Malta

Elaboro um roteiro completo e checo se todos os transportes estão disponíveis, além do preço do deslocamento. Realizo a pesquisa de passagem no site skyscanner.com.br, que mostra uma tabela comparativa de preços e horários. Observei que só tinha um voo de Riga para Malta no dia 1/6, não havia no dia anterior ou posterior. Comprei a passagem no site da AirBaltic, companhia letã com sede em Riga, que alimenta os países bálticos. O voo não foi tão barato, custou 130 euros, mas no fim não pesou no orçamento, já que gastei nos trechos Rio-Madri-São Petersburgo-Tallinn-Riga-Malta-Madri-Rio a bagatela de R$2.985,92! Às 18 horas fizemos o check-in e tivemos que esperar por longas horas. Para piorar, o voo teve um atraso considerável. 


Share:

Riga (3ª parte)

Depois de visitarmos cada ponto de Old Town, retornamos ao hotel para verificar a exata localização do bairro de Art Nouveau em Riga. A rua com a maior concentração de prédios é Alberta, que tem construções magníficas. Oito prédios foram reconhecidos como monumentos arquitetônicos. 

Share:

Riga (2ª parte)

A primeira visita que fizemos, no segundo dia em Riga, foi na Casa das cabeças pretas (house of black heads), prédio construído em 1334 na capital da Letônia. É uma construção magnífica e também residência do presidente. A casa foi destruída na Segunda Guerra Mundial, mas reconstruída em 1999.

Share:

Riga, a capital da Letônia

Por volta das 9 horas já estávamos prontos. Tomamos café e chamamos o uber. A corrida deu 5 euros do hotel até a Tallinn Coach Station. Previamente compramos a passagem pra Riga no site da LuxExpress, que custou módicos 10 euros. A previsão de chegada era 14:10. Como já mencionado em outro post, a viagem de ônibus é muito mais confortável que de avião. Poltronas de couro com espaço para as pernas, tela de tv em cada assento, wi-fi, banheiro, máquina de café, água. Inclusive algumas pessoas dão prejuízo: tinha um casal na minha frente que tomou uns 5 cappuccinos cada. Considerando que custam, em média, 5 euros, a passagem saiu de graça... 

A vista da janela do hotel era da torre da St. Peter Church, que foi construída em 1209
Share:

Sala VIP Cibeles no Aeroporto Barajas em Madri

Desde o início de 2015, o cartão Mastercard Black está associado ao programa "Lounge Key", que permite o ingresso em diversas salas VIP pelo mundo (mais de 500 salas). Basta acessar o site e verificar se tem alguma sala no seu terminal de embarque (alguns bancos exigem o pagamento de uma taxa de utilização).


Share:

Sala Mastercard Black no Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos

Os clientes do cartão Mastercard Black, em viagem internacional, podem acessar à sala VIP no Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos. A sala possui três ambientes, wi-fi, TV, carregador de celular por usb. Funciona de 6 às 23:30h.




Share:

1 dia em Helsinque, a capital da Finlândia

Helsinque é a capital da Finlândia e também a maior cidade do país, que é um dos mais seguros do mundo e tem um dos melhores IDH (índice de desenvolvimento humano). Basta olhar o mapa para ver a proximidade entre Tallinn e Helsinque, cidades separadas pelo Golfo da Finlândia. A independência do país foi proclamada apenas em 6 de dezembro de 1917, logo, em 2017 será comemorado o aniversário de 100 anos de independência. A moeda é o euro e o idioma é o finlandês, mas todos falam inglês perfeitamente.



Share:

Tallinn, a capital da Estônia (2ª parte)

A cidade antiga de Tallinn, na Estônia, é considerada patrimônio mundial da humanidade pela Unesco. No dia anterior conseguimos caminhar por toda Old Town em quase 3 horas, mas deixamos para ver os pontos turísticos pormenorizadamente no dia seguinte.

Vista de um dos mirantes
Share:

Tallinn, a capital da Estônia (1ª parte)

Como relatado no post anterior, houve alteração da rodoviária de embarque, em São Petersburgo, aumentando 1 hora na viagem, totalizando 6h45. Apesar do tempo na estrada, ainda acho o ônibus melhor opção que o avião. 

A muralha medieval de Tallinn
Share:

São Petersburgo, a visita ao Catherine Palace e o jantar no Jamie´s Italian

No último dia em São Petersburgo, não acordamos tão cedo como queríamos e meu amigo conseguiu ficar quase duas horas tomando banho (haja paciência). Tinha deixado as compras pro último dia, portanto, seguimos para o Souvernir Market, que fica no caminho da Catedral do Sangue Derramado (Church of the Savior Blood). 
Catherine Palace

Share:

São Petersburgo e a visita ao Museu Hermitage

São Petersburgo foi criada em 27 de maio de 1703 pelo Tsar Pedro, o Grande, quando deixou Moscou. Dizem que milhares de escravos e servos morreram durante construção da cidade, que era um pântano na época. Peter queria acesso ao mar, mas a região tinha sido dominada pela Suécia, então, para retornar o poder no Báltico, teve que entrar em guerra com Carlos XII, de apenas 16 anos. O rei sueco tinha iniciado a Grande Guerra do Norte e conseguiu dominar todos os inimigos, menos a Rússia. A batalha decisiva ocorreu bem longe do mar, em Poltava, na Ucrânia em 1709. Em 1712 São Petersburgo se tornou a nova capital da Rússia. A cidade lembraria a modernidade europeia, com canais no estilo de Veneza ou Amsterdã. Um grande número de nobres e ricos foram morar na capital - não por vontade própria, mas pela ordem do tsar.

Fachada do antigo Palácio de Inverno, hoje Museu Hermitage

Share:

Paris, 5ª parte

No meu quinto e último dia em Paris, comecei o passeio pelos Jardins de Luxemburgo, situado entre o bairro do Quartier Latin e de Saint-Germain-des-Prés. O jardim ficava a 200 metros do hotel onde estava hospedada, mas caminhei uns 400 metros para encontrar a entrada. 
Basílica de Sacré-Cœur

Share:

Paris, 4ª parte

Posterguei ao máximo a minha visita à Torre Eiffel, embora seja o símbolo de Paris e um dos monumentos mais festejados do mundo, não me atraía, ainda mais com tantos museus extraordinários espalhados pela cidade. 

Sabia que era um lugar concorrido, mas não quis comprar o ingresso com antecedência, online, pois ao marcar um horário teria que cumpri-lo. Deixei para adquiri-lo no local. Foi a maior besteira da minha vida! Saí do metrô toda sorridente, tirando fotos até me deparar com a fila na bilheteria e para subir na estrutura de ferro. Foram quase 3 (TRÊS) horas esperando. O vento doía a minha alma. Em resumo: um sofrimento inexplicável.  

A vista é bonita, mas nada recompensaria meu tempo perdido. Caminhei pelo espaço, ainda com vontade de chorar de frio, fome e raiva. 

Torre Eiffel, construção de 300 metros projetada por Gustave Eiffel para uma exposição, é um dos produtos da Revolução Industrial, que iniciou o uso em larga escala de produtos industrializados. Sua construção iniciou em 1888 e foi terminada em 1889. 

Depois do calvário, segui caminhando pela vizinhança até o Musée du Quai Branly, que tem uma extensa coleção (cerca de 3.500 peças) de arte da África, Ásia, Américas e Oceania. Quem gosta de antropologia pode passar um dia inteiro no museu. Além de ser absolutamente lindo, é uma das poucas atrações vazias na cidade. Achei curioso o robô que seguia os visitantes. Utilizei o Paris Museum Pass.


Peguei o metrô e fui conhecer o Arco do Triunfo francês. Cheguei na rua em frente e percebi que não tinha como atravessar. Fiquei observando até entender que era necessário seguir por uma passagem subterrânea para chegar no interior da construção. Novamente utilizei o Paris Museum Pass. Subi as escadas que dão acesso ao topo do edifício e novamente pude apreciar a paisagem de Paris do alto.
Do alto do Arco do Triunfo


Naquele dia provei uma das iguarias francesas: um crepe recheado de marron-glacé. 

Share:

Paris, 3ª parte

Paris é linda, mas não me cooptou, tanto que tenho escrito sobre minhas experiências na cidade com alguns anos de atraso. Hoje sei exatamente o motivo: senti muito frio. Embora fosse primavera, cheguei a pegar 0° e minha mala não estava adaptada pra aquela temperatura. 
Palácio de Versailles

Share:

Peterhof, o palácio e os jardins de Pedro, o Grande


É necessário ter alguma flexibilidade para ajustar o roteiro de acordo com as mudanças climáticas. No itinerário original iria ao Hermitage no segundo dia em São Petersburgo, mas observei que no terceiro dia havia 80% de chance de chover. Tendo em vista que museus podem ser visitados com chuva, optei por conhecer Peterhof antes do museu.
A grande cascata com a fachada do Grande Palácio
Share:

O primeiro dia em São Petersburgo

O Hermitage era um dos grandes museus que ainda não conhecia, logo, incluí a cidade de São Petersburgo, na Rússia, no roteiro. Encontrei passagem de Madri a São Petersburgo por 12.500 milhas no Smiles - talvez seja um dos trechos mais vantajosos em razão da distância. 
Um dos inúmeros canais da cidade. A primeira foto que tirei. O relógio marcava 21h e o sol brilhava no céu.

Share:

Segóvia

Elaboro meus roteiros com as informações básicas e atividades que podem ser realizadas na cidade visitada. E tenho sempre um “plano B”. O objetivo era ficar o primeiro dia inteiro passeando em Madri e no outro dia realizar um bate-volta a Córdoba. Fiz um adendo, se o hotel não liberasse o early check-in, o bate-volta aconteceria no dia da chegada.



Share:

De volta a Madri


Não é fácil entender como funciona o mercado especificamente sobre a venda de passagens aéreas, pois no ano passado o dólar estava mais alto (as passagens são comercializadas na moeda norte-americana) e as passagens estavam com preços razoáveis, mas em 2017 todas as pesquisas realizadas (com destino a Europa) retornavam com valores acima dos R$3.000,00.
Plaza Mayor
Share:

As belezas de Alagoas: Maceió, Maragogi, São Miguel dos Milagres, Praia do Gunga, Praia do Francês e Barra de São Miguel

No início do ano, minha irmã comentou que tinha uma viagem marcada para Maceió na Semana Santa, de 13 a 17 de abril. Em fevereiro apareceu uma promoção no "Smiles", para minha surpresa, mas confesso que acessei o site sem muita esperança de encontrar passagem para o destino supracitado no feriado, mas, por sorte, achei por apenas 4 mil pontos o trecho! Finalmente conheceria um dos litorais mais estonteantes do Brasil!
São Miguel dos Milagres

Share:

Um fim de semana no Beto Carrero World

Aproveitei uma promoção do Smiles, em fevereiro, e emiti passagens para Maceió e Navegantes. Cada trecho custou apenas 4 mil milhas! Ainda fiquei tentada a preencher mais um fim de semana, já que o mês de abril teve 3 feriados seguidos.


Share:

Conhecendo o maior toboágua do mundo no parque "Aldeia das Águas"

Admito que nunca tinha ouvido falar no "Aldeia das Águas" até no último mês, quando minha irmã juntou um grupo de amigos para visitar o parque, que fica localizado em Barra do Piraí, a 150km do Rio de Janeiro - cerca de 2 horas de carro. A atração que me convenceu a seguir na aventura foi o "Kilimanjaro", o maior toboágua do mundo (adoro fortes emoções). Nas dependências do parque, há um hotel, para quem quer aproveitar as piscinas por mais tempo.
Foto de divulgação

Share:

Um fim de semana em Campos do Jordão

A cidade de Campos do Jordão (no estado de São Paulo) fica a 320 km do Rio de Janeiro e o percurso pode ser feito entre 4 e 5 horas. O meio de transporte mais rápido é o carro, mas o ônibus é uma alternativa viável.

Share:

Visitando o Mercado Chatuchack e meu último dia em Bangkok


A AirAsia definitivamente não é uma companhia aérea pontual. No meu retorno de Luang Prabang, no Laos, houve um atraso de mais de 1 hora. O voo chegaria em Bangkok às 18:05, mas aterrissei após 19h, no Aeroporto Don Muang. Portadores de passaportes emitidos em países da América do Sul e África possuem um item a mais no trâmite dos aeroportos da Tailândia, pois passamos no guichê da agência de saúde para comprovar que tomamos a vacina de febre amarela. Para minha surpresa, o agente estava dormindo. Uma asiática, percebendo meu insucesso ao tentar acordá-lo, bateu com força na janela de vidro.

Share:

Os encantos de Luang Prabang (2ª parte)


No meu terceiro dia em Luang Prabang (o segundo dia inteiro), levantei cedo, por volta das 8h (nesse dia abdiquei da Ronda das Almas) e solicitei o café da manhã, que era servido na varanda. Antes de sair para passear, agendei um tour com o hotel para a famosa cachoeira Kuangsi Waterfall, na parte da tarde, saindo às 14h. O hotel oferecia bicicletas para os hóspedes, mas preferi caminhar. 

A Árvore da Vida no Wat Xieng Thong

Share:

Um dia no santuário de elefantes em Luang Prabang

Li previamente que o entretenimento com a melhor avaliação do Tripadvisor em Luang Prabang era o passeio com elefantes oferecido pelo Elephant Village Sanctuary. Atualmente qualquer atividade turística que envolva animais gera muita polêmica, tanto que o próprio site supracitado fez uma campanha, informando que não mais venderia ingressos para lugares que explorassem os bichos. Particularmente, acho um posicionamento apenas político. Sou assídua pesquisadora do site, mas quem compra ingressos ou reserva hotéis através da sua plataforma? Ninguém. 

Share:

Os encantos de Luang Prabang (1ª parte)

Ao elaborar um roteiro sempre me vejo diante de uma encruzilhada, pois existe um imenso leque de possibilidades e ao optar por visitar um lugar, deixo de conhecer outra região. Meu coração andava apertado por não ter conhecido Luang Prabang nas duas vezes anteriores que estive no Sudeste Asiático


Palácio Real e Night Market

Share:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores

Arquivo do blog