Atacama: Salar de Tara

O guia "Lonely Planet", em 2017, colocou o Chile em 1º lugar na lista dos países que mereciam ser visitados em 2018. O Deserto do Atacama é um dos motivos para o lugar ser um incrível destino turístico.



Share:

Atacama: San Pedro, Valle de la Luna, Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas

Minha primeira viagem internacional, depois de adulta, foi para o Chile, em 2008. Naquela época não cogitei conhecer o Atacama e fiquei 8 dias na capital, Santiago, que adorei. Percebi que minhas milhas Multiplus estavam expirando, logo, fiz uma pesquisa sobre os possíveis destinos que poderia visitar. A melhor opção foi o Deserto do Atacama (aeroporto Calama). Consegui ida e volta por 33.500 milhas. 

Lagunas Altiplânicas

Share:

Planejamento para o Deserto do Atacama

A viagem para o Deserto do Atacama nasceu da necessidade de gastar minhas milhas que estavam expirando na Multiplus. Após marcar minhas férias, comecei a pesquisar voos, quando encontrei ida por 16.000 milhas e volta por 17.500 milhas, que é um valor excelente. Num primeiro momento, como pretendia fazer outra viagem nas férias, marquei apenas 3 dias inteiros, sem contar o dia da ida e da volta. Voaria dia 28/11 e regressaria dia 02/12. 
Rua Caracoles em San Pedro

O primeiro susto que levei foi com o preço da hospedagem, que é absurdamente caro, mesmo nas opções mais simples. Existem hotéis 5 estrelas com diárias de R$2.000, mas não pense que os hosteis estavam baratos. Preferia encontrar um hostel com quarto privado que tivesse banheiro próximo a rua Caracoles, que é o centro da região, de onde saem os passeios e onde estão os restaurantes. Ter banheiro privado é uma exigência que dobra o valor da diária! 

Depois de alguns dias de pesquisa, apareceu uma promoção do Residencial Chiloe no site Hoteis.com. O valor cobrado era 49,50 dólares por diária, paguei 4 diárias, inclusive do dia que chegaria de madrugada. A título de comparação, com esse valor é possível ficar num "All inclusive" em Varadero, num hotel luxuoso com piscina em Bangkok, num apartamento confortável em Lisboa. Só encontrei a opção de quarto duplo, ou seja, viajar sozinha é pagar em dobro.

O valor foi mostrado em reais, mas seria pago em dólares, logo, dependeria da cotação do dia para converter o valor para real - estava muito mais barato que nos outros hosteis similares. O site informava que deveria entrar em contato com o estabelecimento se o horário de chegada estivesse previsto para depois da meia-noite. Alguns dias depois a Latam enviou um e-mail sobre uma mudança de horário, mas era apenas 10 minutos no voo da volta.

Faltando duas semanas para a viagem, recebi outro e-mail da Latam, mandando entrar em contato se não estivesse satisfeita com o novo horário do voo de volta, que tinha uma alteração de mais de 1 hora no trecho internacional. Nesse momento já tinha todo o período de férias planejado, pois comprei a passagem para passar uma semana em Cuba e teria disponibilidade para ir antes para o deserto. 

Para ter argumentos valiosos, antes de entrar em contanto com o chat, pesquisei sobre a Resolução nº 400, de 2016, da Anac, que é clara ao informar, no art. 12, item II, que na alteração do horário da chegada ou partida (mais de 1 hora em voos internacionais), se o passageiro não concordar com a alteração a companhia aérea deve oferecer alternativas ou reembolso integral:
Art. 12. As alterações realizadas de forma programada pelo transportador, em especial quanto ao horário e itinerário originalmente contratados, deverão ser informadas aos passageiros com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas. § 1º O transportador deverá oferecer as alternativas de reacomodação e reembolso integral, devendo a escolha ser do passageiro, nos casos de:
[...]
II - alteração do horário de partida ou de chegada ser superior a 30 (trinta) minutos nos voos domésticos e a 1 (uma) hora nos voos internacionais em relação ao horário originalmente contratado, se o passageiro não concordar com o horário após a alteração.

Fui no site da Latam e "escolhi" um novo voo de ida, no dia 26, antecipando em 2 dias, mas só encontrei voo com conexão em São Paulo, contudo, no que diz respeito à volta, encontrei um voo direto pro Rio de Janeiro, saindo às 13h (o anterior estava marcado para 8h, que me faria acordar as 4h da manhã, pois o aeroporto ficar bem distante), chegando mais cedo que o voo sugerido pela companhia. Entrei no chat e não precisei citar a resolução, disse que queria fazer as alterações supracitadas, colei os trechos que queria do site da Latam, com os códigos. Imediatamente me encaminhou um e-mail com o novo e-ticket. 

Surgiu uma nova preocupação: a hospedagem. Não encontrei qualquer promoção para o mesmo hostel nos sites de reserva de hospedagem, também não poderia cancelar a reserva anterior, pois a tarifa não permitia cancelamento. Pensei em ficar em outro hostel, mas teria que transportar a bagagem no meio do dia (sempre viajo com mala). Entrei em contanto com a hospedagem, que me informou que não tinha quarto com banheiro para o período. Entrei no site e encontrei quarto duplo privado, mas com banheiro compartilhado. Nunca tinha usado banheiro compartilhado, e ainda, estou com uma doença chamada "bexiga hiperativa", que me faz ter vontade de fazer xixi inúmeras vezes. Seria um caos, mas reservei por 37 dólares a noite, duas diárias, de 26 a 28/11.

Sempre prefiro pagar a hospedagem antecipadamente, portanto, na maioria das vezes reservo no site hoteis.com, mas pela primeira vez não consegui efetuar o pagamento, acho que em razão do imposto de 20% que tem para chilenos ou no caso de pagamento da reserva em pesos chilenos. 

Para quem não tem preocupação com o custo da hospedagem, existem hotéis 5 estrelas cinematográficos, que, na maioria, oferecem serviço "All inclusive", com refeições, transfer, passeios. Tudo incluído! São eles o Tierra Atacama e Explora Atacama. Existem outros sofisticados e com preço elevado: Hotel Noi, Hotel Cumbres, Altiplanico Atacama, Terrantai Lodge, Poblado Kimal, etc. 
Valle de la Luna
Em seguida, decidi verificar os passeios mais interessantes. Li alguns sites e perguntei às pessoas conhecidas, que já tinham viajado ao deserto, sobre os passeios preferidos. Segui a dica e deixei para reservar apenas na cidade, mas pesquisei e anotei os valores antecipadamente. Os passeios que poderia fazer:
  • Tour astronômico (+- 20.000 pesos chilenos)
  • Lagunas Altiplânicas + Piedras Rojas (+- 50.000 pesos chilenos)
  • Geysers del Tatio (+- 20.000 pesos chilenos)
  • Laguna Cejar (+- 17.000 pesos chilenos)
  • Valle de la Luna (+- 10.000 pesos chilenos)
  • Termas de Puritama (+- 12.000 pesos chilenos)
  • Valle Arcoiris (+- 28.000 pesos chilenos)
  • Salar de Tara (+- 45.000 pesos chilenos)
  • Lagoas Escondidas de Baltinache (+- 30.000 pesos chilenos)
Gêiseres del Tatio
Na época que viajei, a conversão era 1 dólar = 625 pesos chilenos. Logo, um passeio de 10 mil pesos custou aproximadamente 50 reais. Consegui um bom desconto fechando todos os passeios, total de 6, numa única agência, gastando 142.000 pesos chilenos ou 227 dólares ou 762 reais. O gasto não para por aí, pois muitos sítios cobram ingresso pela entrada! Alguns oferecem uma pequena estrutura (banheiro). O valor da entrada é:
  • Lagunas Altiplânicas + Piedras Rojas (5.500 pesos chilenos)
  • Geysers del Tatio (10.000 pesos chilenos)
  • Valle de la Luna (3.000 pesos chilenos)
  • Termas de Puritama (15.000 pesos chilenos pela manhã e 9.000 pela tarde)

É importante ressaltar que os passeios que duram o dia inteiro servem café da manhã e almoço, então, a qualidade do lanche estará relacionada com o preço do pacote. É sempre bom perguntar o que está incluído. Algumas agências levam verdadeiros banquetes com frios, pães, vinhos, roupões, enquanto outras levam café e biscoito. 

Assim como a hospedagem, existem passeios para todos os bolsos, desde agências com uma estrutura excepcional até aquelas mais baratas. Acessei sites de algumas agências que tinham boa avaliação e o valor era razoável. Destaco aqui que muitas agências não estão listadas no "Tripadvisor" - em San Pedro existem muitas outras:

Cruz Andina (fiz os passeios com essa agência):
https://www.cruzandinatravel.com/pb/
Volcano Ventura (indicada por uma colega):
http://www.volcanoaventura.cl/es/excursiones-regulares/
Araya Atacama
http://arayaatacama.com/tours/
FlaviaBia (o preço é mais elevado, mas a estrutura parecer ser ótima)
http://www.flaviabiaexpediciones.com/
Astrotour Atacama
https://astrotouratacama.cl/
Space Obs (expedição astronômica)
http://www.spaceobs.com/
Ayllu Atacama (o preço é mais elevado, mas a estrutura parecer ser ótima)
www.aylluatacama.com.br


Outra preocupação na viagem pro Deserto do Atacama é relativa à mala. Viajei no fim de novembro, numa época bem próxima do verão, então a oscilação de temperatura não foi tão grande, mas mesmo assim peguei de -9º a 50º! A mala deve ter de roupas térmicas a roupas de banho. Sempre viajo de mala e não vejo a necessidade de ser mochilão, exceto para quem vai seguir para o Salar Uyuni, na Bolívia. Não comprei nada específico, mas levei muitos casacos para colocar camadas quando fosse necessário. É essencial levar:
  • Roupas térmicas (só tinha a camisa de manga);
  • Fleece; 
  • Meias;
  • Luva;
  • Casaco corta-vento (levei uma jaqueta de couro sintético);
  • Gorro;
  • Toalha de secagem rápida;
  • Casaco de pena de ganso;
  • Roupa de banho;
  • Óculos de sol;
  • Protetor solar e labial;
  • Lenços umedecidos, papel higiênico, álcool gel;
  • Boné;
  • Soro fisiológico ou Rinosoro (hidratar o nariz).

Por fim, tive que verificar a melhor forma de sair do aeroporto em Calama e seguir até San Pedro de Atacama. A distância entre as duas cidades é de 100 km, cerca de 1h20 de viagem! Existem duas empresas que fazem transfer diariamente, a Transvip e a Lincacabur. O serviço pode ser reservado online e pago apenas no local. Como chegaria tarde, preferi deixar reservado. Preenchi o formulário, depois recebi a confirmação da Lincacabur, dizendo que estariam me esperando na saída com uma placa com meu nome. Só a ida é 12 mil pesos chilenos, ida e volta 20 mil pesos chilenos. Contratei ida e volta. Para voltar, mandei e-mail, pois pedem para confirmar a volta um dia antes, mas também pedi para a dona do hostel ligar. Ela disse que a empresa costuma atrasar, portanto, costuma indicar a Transvip. Não tive qualquer problema com a empresa.

Transvip: http://www.transvip.cl/
Lincacabur: http://www.translicancabur.cl/


Para finalizar, uma sugestão: como tudo é muito caro em San Pedro, sugiro levar alguns petiscos. Comprei uma lata de batata, amendoim, amêndoas, balas, kit kat. 
Share:

Havana (4ª parte)

No nosso último dia em Havana, acordamos e seguimos para o restaurante "Dos pelotas", com o objetivo de tomarmos o café da manhã. Pedi uma porção de frutas, uma omelete e um suco. Tudo custou 2,75 CUC, ou seja, um preço imbatível na região, muito mais barato que nas casas particulares ou nos hotéis.

Share:

Havana (3ª parte)

Na terceira etapa da viagem, retornamos a Havana e optamos por nos hospedar em Centro Habana, bairro entre Habana Vieja e Vedado. É verdade que não encontrei, nos blogs, tal indicação, pelo contrário, uma conhecida, que já tinha visitado Cuba por duas vezes, não me recomendou, disse que sentiu medo ao caminhar no bairro. 
Share:

2 dias em Varadero

Varadero é o destino de praia mais conhecido de Cuba e fica a 142 km de Havana. Tem aeroporto internacional (Aeropuerto Juan Gualberto Gómez) localizado na província de Matanzas, que opera voos diretos para Miami, Frankfurt, Paris, Moscou, Toronto, etc.


Share:

Havana (2ª parte)


Habana Vieja é considerada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. A cidade foi criada em 1519 pelos espanhóis, se tornou um dos maiores centros de construção naval do Caribe. Na segunda metade do século XVI se transformou no maior porto da região. Havana manteve suas muralhas e suas 5 grandes praças: Plaza de Armas, Plaza Vieja, Plaza de San Francisco, Plaza del Cristo e Plaza de la catedral. Na proximidade das praças existem construções notáveis intercaladas com monumentos no estilo barroco e neoclássico.

Mural de Che na Plaza de Revolución

Share:

Havana (1ª parte)


"Havana, ooh na na. Half of my heart is in Havana..."
Camila Cabello


Cuba é um destino que requer alguns dias de pesquisa a mais que outros em razão da sua singularidade. O país exige visto de brasileiros, como contei pormenorizadamente em outro post, no entanto, a "tarjeta del turista" pode ser adquirida na companhia aérea. Outra questão inquietante é que moeda levar, se Euro ou Dólar, e ainda, que moeda usar, pois existem duas oficiais, o CUC e o CUP. Algumas pessoas indicam a hospedagem em Vedado, mas gostei de me hospedar tanto em Habana Vieja quanto em Centro Habana, como contei aqui



Share:

Dicas sobre Cuba: que moeda levar

Existem duas moedas oficiais em Cuba, o CUP, que é o peso cubano - a moeda nacional (é representada como MN nos cardápios), e CUC, que é o peso convertido - começou a circular na ilha em 1994. A segunda moeda equivale ao dólar, enquanto a primeira representa 0,04 do CUC. O turista usa predominantemente o CUC, pois é a moeda vigente na área turística.
A linda nota de 3 CUPs (peso cubano) com o rosto de Che Guevara
Share:

Onde se hospedar em Havana

Uma dúvida recorrente de quem viaja pela primeira vez a Havana é sobre o melhor bairro para se hospedar e também se deve optar por hotel, hostel ou casa particular. Os bairros mais indicados são: Vedado, Habana Vieja e Centro Habana.

Share:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores