Sintra


Acordamos cedo para um bate-volta em Sintra, cidade que fica a 30 km da capital e é considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Os trens saem a cada 20 minutos e o percurso leva cerca de 1h20min (aqui deu uma saudade dos trens rápidos de Madri, que fazem 70 km em 30 minutos). O acesso à estação de trem do Rossio é fácil e levamos cerca de 7 minutos desde o apartamento. Compramos o bilhete de ida e volta, para evitarmos surpresas, já que é um destino muito procurado pelos turistas e Lisboa estava repleta deles em abril.
Pequena aquarela que fiz em homenagem ao Palácio da Pena

Percurso do apartamento (e Lisboa) até a estação de trem do Rossio.
Chegando na estação de Sintra, ficamos por alguns minutos (mais de 30) na fila de informações turísticas, pois havia grande de oferta de meios de transporte para levar aos pontos turísticos: carrinhos, vans, ônibus. Pegamos o mapa e decidimos visitar dois deles: Parque e Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros. Infelizmente não compramos os ingressos no posto de informações e deixamos para comprá-los na entrada dos sítios.
 
Belíssimos azulejos na Estação de Sintra
Os outros lugares usualmente visitados em Sintra são: Palácio Nacional de Queluz, Palácio Nacional de Sintra, Parque de Monserrate, Convento dos Capuchos. Para maiores detalhes existe o site: http://www.parquesdesintra.pt/

Centro de Sintra

Seguimos em direção ao lado direito da rua, objetivando encontrar o primeiro ponto de ônibus (linha 434), que leva às atrações. Calcule uns 15 minutos de caminhada até o centro de Sintra. É bom destacar que tem wi-fi grátis ao lado do Palácio Nacional de Sintra, atrás do ponto de ônibus. A passagem custou 5 euros e dava direito a ida e volta. O ônibus é circular, portanto, você pode subir 2 vezes, desde que nos mesmo sentido.
 
Palácio Nacional de Sintra
O ponto de ônibus fica logo após o carro vermelho
Embora tenha passado primeiro no Castelo dos Mouros, optamos por descer no Parque e Palácio da Pena. A fila estava extensa. Compramos o ingresso combinado por 20.90 euros (o preço mais salgado da viagem). O Palácio da Pena foi construído em 1910 e mescla vários estilos arquitetônicos. Os portugueses costumam dizer que é o sítio mais visitado da Europa. O que pude constatar é que o palácio tem uma arquitetura verdadeiramente exuberante e colorida.




Ao contrário do exterior, o interior do Palácio fica aquém dos demais visitados no Velho Continente, todavia, é interessante observar o mobiliário, louças e roupas na época da monarquia, que foi convertido em museu após a instalação da república. São inúmeros quartos, salas e salões. Tudo pode ser fotografado.


Fizemos uma curta caminhada até o Castelo dos Mouros, mas o seu interior é constituído por diversas escadas, torres e muralhas, que deixam qualquer um esbaforido. O castelo foi construído no século X com a invasão muçulmana na Península Ibérica.

No retorno, paramos para provar uma das iguarias de Sintra: as queijadas (aqui são conhecidas como “queijadinhas”), na “Fábrica das verdadeiras queijadas da sapa” e caminhamos pelo centro da cidade e pelas vielas de Sintra.

As queijadas
 
 


Share:

0 comentários:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores