Antes e depois: Andy Warhol

A grandeza de Andy Warhol pode ser explicada num parágrafo apertado: seus trabalhos foram responsáveis por um corte epistemológico entre arte moderna e arte contemporânea.

Bellevue II, 1963. Stedelijk Museum.

Na esfera da linguagem visual não há artista mais importante. Orquestrou uma mudança no processo de fruição da obra de arte. Provocou o niilismo na pintura convencional - anteriormente a pintura figurativa sofrera impacto com o surgimento da  fotografia. 

Suas obras ainda estão em pleno diálogo com os trabalhos elaborados atualmente, se pensarmos em apropriações, por exemplo, a atitude foi largamente utilizada na pop art. Warhol fazia uso de caixas, rótulos, quadrinhos e os tomava para si, apropriando-se e dando-lhes novo sentido. Os objetos perdiam suas características originárias e ganhavam aspectos distintos. 

Sugiro 3 (ótimos) livros lançados no ano passado sobre o Andy:



Andy Warhol, por Arthur C. Danto. Editora Cosacnaify

"Não se trata de um estudo de história da arte, nem de uma biografia de Warhol, mas de uma análise de enfoque filosófico sobre o que faz de Warhol um artista tão fascinante."

Diários de Andy Warhol. Editora L&PM

"Fui à igreja e quando eu estava de joelhos rezando por dinheiro uma mendiga veio me pedir algum. Ela pediu $5 e depois aumentou para $10. Era parecida com Viva. Dei 5 cents."

América, por Andy Warhol. Editora L&PM

"Sou do tipo que ficaria feliz em não ir a lugar algum, contanto que tivesse a certeza de saber exatamente o que está acontecendo nesses lugares."


Share:

0 comentários:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores