1 dia em São Paulo

Após recorrer no erro do ano anterior, ou seja, comprar passagem aérea saindo da cidade de São Paulo para a Ásia, optei por ir um dia para visitar a Bienal de Artes. Comprei a passagem de ida pela Avianca, pois preferia sair do Galeão, e a volta foi adquirida com pontos na Tam.


MASP

No dia anterior, comecei a sentir irritação na garganta e leve fraqueza, mas meu voo sairia às 9:00 na sexta-feira e não tive tempo de ir ao consultório médico. Desembarquei por volta das 11:00 em Guarulhos, em razão do atraso de mais de uma hora na decolagem. 

Existem duas opções para sair de ônibus do aeroporto, já que o táxi custa entre R$150 e R$200,00: pode tomar o ônibus executivo, que custa R$36,50, ou o ônibus da linha 257, também preparado para colocar malas, que fica na pista ao lado do executivo e custa R$4,45, mas deixa na estação de metrô Tatuapé, enquanto o executivo Guarulhos-Av. Paulista para em inúmeros hotéis, inclusive no que me hospedaria: Renaissance.

Fila para comprar a passagem. Pode pagar com o cartão de crédito. Há a opção de pagar diretamente ao motorista.


 Sala de espera do ônibus


                                            Lista de hotéis no percurso do ônibus


 O ônibus executivo


O ônibus de linha

Cheguei no Renaissance por volta das 13:00h (o ônibus me deixou na porta) e tive uma excelente notícia: pude fazer o early check-in! A recepcionista, que ainda recordo o nome, Laura, foi super simpática e me deu outra notícia incrível: recebi um upgrade para o melhor quarto, no 21º andar, além de café da manhã (que não estava incluído na minha diária) e acesso ao Lounge do 23º andar!




Chegando no quarto ainda tinha outro mimo: máquina Nespresso com várias cápsulas. Deixei minha bagagem e fui almoçar no Shopping na Av. Paulista. Depois peguei o metrô até a estação Paraíso. Lá desci e chovia. Depois de pedir informação, finalmente encontrei o ponto do ônibus que me deixaria no Ibirapuera.

O cobrador do ônibus me avisou em qual ponto deveria descer. Chovia torrencialmente. Já era 16:00h e preferi seguir para o MAC. Me informei sobre a localização do prédio e fui por fora do Ibirapuera, depois me dei conta que deveria ter seguido por dentro, pois um motoqueiro nitidamente me seguiu, mas dei uma corrida, depois avistei um morador de rua, que me fitou e finalmente cheguei na passarela que leva ao museu.

O Museu de Arte Contemporânea USP tem entrada gratuita e fica num prédio projetado por Niemeyer, além de contar com um acervo incrível! Com pouco tempo, não pude visitar todos os andares. Um dos destaques era a mostra temporária "Transarquitetônica", de Henrique Oliveira. Uma das instalações mais bonitas que já vi!




Finalmente cheguei na Bienal de Artes de São Paulo e confesso que fiquei um pouco decepcionada com as obras. Nada me emocionou.



Fiz o mesmo percurso para retornar: ônibus e metrô. Depois entrei em uma farmácia para comprar vitamina C, antiinflamatório, chiclete e água. Me sentia fraca e a dor de garganta permanecia.

Chegando no hotel, tirei o casaco molhado e fui conhecer o Lounge no 23º andar. Existe uma seleção enorme de petiscos, salgadinhos, sanduíches. Vinho, espumante, máquina Nespresso. Geladeira com refrigerante, água, iogurte, chá. Além de uma barmaid fazendo drinks na hora. A Margareth é super simpática e me ofereceu bebidas com saquê e melancia, saquê, abacaxi e limão. Todos deliciosos. O lounge tem um dos ambientes mais agradáveis que já vi em um hotel.





Me programei para ir no teatro do próprio hotel, mas estava bem debilitada e preferi dormir. Quando voltei ao quarto, outra surpresa: alguém tinha fechado a persiana! Uma delicadeza sem tamanho. Na manhã seguinte, após um longo banho de banheira, subi para o lounge para tomar café da manhã. E novamente tinha uma variada seleção: incluindo Yakult, que amo.




Voltei ao quarto e a conta foi deixada debaixo da porta. Bastava ligar para um determinado número e dizer que concordava, para não ficar na fila do check-out. Desci e deixei minha bagagem na recepção. Caminhei para o Centro Cultural FIESP com o intuito de visitar a exposição "Leonardo da Vinci: a natureza da invenção". Como já esperado, num sábado ensolarado, a fila estava longa. 

Depois almocei e pensei em entrar no Masp, já que tinha tempo, mas havia uma manifestação e desisti. Retornei para buscar minha mala no hotel. Esperei o ônibus executivo para Guarulhos por trinta minutos e segui para a outra etapa da viagem de férias.


Share:

0 comentários:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores