Belo Horizonte - Minas Gerais


O aeroporto de Confins fica a aproximadamente 1 hora do Centro. A melhor opção é pegar o ônibus executivo, com saídas regulares, que deixa na rodoviária (existem outros destinos). A rodoviária é enorme, uma vez que para seguir rumo aos destinos mais procurados de Minas Gerais só existe a via terrestre. Lá tem o serviço de guardar bagagem. O banheiro é pago.


Fiz apenas um passeio noturno por Belo Horizonte e jantei em Nova Lima (na pizzaria Donna Margherita/Rancho do Boi, que vale um elogio: esqueci a bolsa no banheiro, quando me dei conta e perguntei tive uma surpresa: a funcionária da limpeza tinha guardado!!!), ciceroneada pelo meu amigo Gê. Minha impressão é que a cidade é bem cuidada e, aparentemente, mais segura que o Rio de Janeiro - me hospedei no Centro, próximo à rodoviária, e as pessoas andavam com certa tranquilidade mesmo no fim de semana.




Conheci alguns pontos turísticos: o Parque Municipal Américo René Giannetti, lugar aprazível, com lago, pedalinho, árvores, brinquedos; a  igreja São Francisco de Assis da Pampulha, com azulejos e painel de Portinari; o Mercado Central, com artesanato e comidas típicas; a feira da Afonso Pena, com artesanato, comida, roupas; a Praça do Papa, em Mangabeiras, local em que foi celebrada uma missa papal; e o Mirante das Mangabeiras, de onde se tem uma visão panorâmica da cidade.





Share:

0 comentários:

Translate

Instagram

Publicidade

Booking.com

Marcadores